por Myrla Sales e Tody Macedo

 Nunca vi uma chuva tão fria

Que conseguisse dissipar uma presença

Só me sobrou a tempestade em recolhimento

Num claustro abandonado foi minha sentença

Queria palavras ou só perfumes de certeza

Tudo desaparece e fica a doença

É a saudade que corroe as entranhas

Tornando insana minha crença

Faço com que as fobias não me corrompa,

Embora que o frio me mostre varias destrezas

Mas o vazio continua

Dessa vez não é o frio 

É apenas a tristeza

Que me embrulha em todas as horas do meu dia

Transforma meu vazio na mais linda garantia

Em ter ao menos algo consolando meu breu.

.

Virei um turista nas entranhas das alegrias

Um sambista no palco sem nenhuma sintonia

Uma pessoa se enlaçando

Com um contrato cheios de finanças

Com a morbidez me mostrando uma confiança

.

Nesse rio de insegurança 

O frio entorpece o vazio

Na negativa de uma salvação

Recolho o resto lucido 

Que reina na minha cabeça

Para tentar ir ao seu encontro

Antes que você de uma vez mês esqueça