por Tody Macedo

Eu tenho uma porção de mim que eu desconheço.

E ainda tenho uma outra que procuro manter longe do sol.

Mas a porção que mais me encanta é da chuva.

Chuva de sorrisos, de brilho dos olhos…

Minha porção de felicidade eu divido com os amigos,

E nada me faz querer algo que esteja tão distante,

Que minhas mãos não possam tocar.

Eu quero a porção da noite e da lua.

Quem sabe da minha boca na sua.

Mas uma porção sem medida para transcender,

Que eleve meu corpo que foi jogado à rua,

Jogue-me no céu, nas nuvens em espasmos de brisa.

E que minha porção não se esparrame pelo chão

E feito chuva molhe, encharque e carregue até chegar a alto mar.