por Tody Macedo com a ajuda da pergunta da minha querida professora e psicóloga Verônica Ramos da Silva

Um amor condenado não somente quando deturpado. Mas se na sua essência ele pode ou não, não sei, mas ele é condenado por línguas que maldizem os fatos ignorando as atitudes alheias.Quem mais condena o amor é quem realmente não teve a capacidade de dar passos através do medo, onde o arriscar se tornou mórbido e vacilante, entorpecido e quase estático. 
Do mais, chega de sentir demais (só hoje);
Chega de amar demais (só hoje);
Chega de se entregar demais (só hoje);
Por que justamente eu tenho que revesar com a minha metade. E como diz o velho sábio (Oswaldo Montenegro): “E que a minha loucura seja perdoada. Porque metade de mim é amor e a outra metade também.” Amanhã volto a minha sina, a minha meta, ao meu fim!