por Tody Macedo

Que meu amor não seja desenfreado

Uma maneira rústica cheia de significado

Considerando que em tempo mal amado

Sempre anda às pressas meio desconfiado


Que minha ilusão não vire sonho

Minhas forças em afeição eu ponho

Se some… ah, meu rosto tristonho

Responde-me? Meu coração se faz risonho


Não desisto e vou me entregar

Confio minh’alma neste ato de dedicar

Seja confuso, intrépido na cena: despojar

Conjugo um verbo, meu fim: AMAR!