por Tody Macedo

escorre o pranto em melodias

E se eu sonhasse depois de já ter sonhado acordado?

E se nesse mergulho insano eu encontrasse um mar que me desse medo de desbravar?

E se fosse só uma tempestade?

 

E Si houvesse um Ré, tocaria nos raios de um Sol maior.

E se fosse no jardim da fantasia estaria bem La no meio esperando que o bem-te-vi pudesse ficar com Dó por não ver as flores e suas canções.

 

Ainda que o “se” não existisse, do sonho não acordaria, num vôo intrépido conheceria o cantar que fia o fio bendito do cancioneiro.

Mas se soubesse como a brisa paira no mar, sonho se faria fragor e ao acordar o se tiraria a realidade do torpor.