por Tody Macedo

Rogo uma prece de um amor perdido

Está no tempo e espaço em correntes de afã

Meu sonho tem início a cada manhã

No toque do lápis para um verso conciso


Jogo feito criança em brincadeira de roda

Gira, procura dar as mãos a palavras que invento

No aglomerado verbal apresentar-te meu intento

Que a brisa leve meu verbo mundo afora


Desafogo as palavras, mas não tudo

O tempo se rende ao perfume emanado

De uma rosa prostrada num jardim sonhado

Meu verso neste instante se faz mudo