por Tody Macedo e Amanda Macedo

... no fundo do lago imersos...

Quantas vezes nesse lago me afoguei, deleitando-me com suas linhas… ah! Se eu pudesse não mais desse lago sairia…

Ainda não me contive, outra linha eu faria se nos ventos fortes houvesse letras, palavras tais que me acalmaria…

Deixe que do vendaval se faça a brisa, que do canto que a noite adormece, em meus braços repousaria protegido pela mansidão de seus próprios versos…

No abrigo lento que alcançamos pelo universo. Faz sol, faz chuva… escorre ária no frio inverno…

Ainda que o ardor do inverno o lago congele, o calor de meus desejos trará consigo tatuado todo o amor contido em seus versos que agora guardo…