por Tody Macedo
Poema selecionado no concurso nacional Novos Poetas - Prêmio Augusto dos Anjos

Meu quintal é logo ali do tamanho que não pode ver

Minha vida é cercada nos farpados da estrada

Um anseio repentino que vai alem da enseada

Com direção da lua que me faz reter


São pontos, são nós na poeira que se levanta

É o cansaço de um laço que se desfez ao redor

Do brilho que caço no fio dum tempo menor

No embalo da suave voz que encanta


Meu quintal, meu mundo, um quarto arruinado

Pode-se ver tudo quanto for, meio turvo

Mas ainda estou sem lágrimas no sofrer que me curvo

Pois é assim que ficou meu coração: desarrumado

Anúncios