Por Tody Macedo

Essa saudade que parece eterna,

Que ainda sente falta da palavra terna,

E que minh’alma subalterna,

Meu passo lento e torto governa.

Saudade que sempre está presente,

Que meu coração esquente

Neste inverno intermitente

De sentimentos mortais transcendentes.

Saudade que já foi primavera,

Em verão o sangue ferve à Quimera,

O sol de outono a se pôr ou a espera,

A imagem perfeita em inverno venera