por Tody Macedo

Na calada da noite quero uma brisa fria a tocar a porta, gélida mas não morta, um vento que me seduz e inebria.

Na calada da noite quero sua porta aberta, seus olhos nus, uma contemplação simples e discreta, brilhantes e envolventes pupilas de menina esperta.

Na calada da noite perturbe meu sono, não finja, me maltrate, faça-me de escravo e não seu dono.

Tire meu ar, deixe-me correr sem freios.

Transporte meus pensamentos na calada da noite, sob a luz do luar, no portal de sua essência, e nela ser um só!