Por Tody Macedo

Um carinho pleno

Um pensamento recôndito

Se as dores permanecem, é que nem saudade.

Espero um minuto e cansado da maldade

Colho uma voz feito flor

Realidade nua e crua

Com a cabeça no mundo da lua

Meio cheia! Luz minguante

Deixando cair seu clarão em passo errante

De um pobre comediante que erra a fala

Na própria cena que a vida encerra

Que cala em um silêncio que sufoca

Em um silêncio que transporta

Mas que não se importa em doer

Que não se importa…

Se foi simples, ou de coração

Sem intenção de marcar os lábios vermelhos

Que em vinho envoltos

Numa dança solitária