Por Tody Macedo

O silêncio se cessa quando os pássaros levantam pela manhã e abraçam os raios do sol.

O silêncio se cessa quando as nuvens encontram o vento vindo do sul e com suas lágrimas saciam a Terra.

O silêncio se cessa quando o peixe nada contra a correnteza do rio para perpetuar a espécie sem saber que assim o fará.

O silêncio se cessa quando o infame músico, com o seu instrumento, pára de tocar e fica a escutar a batuta do maestro bailar no ar.

O silêncio se cessa quando a semente, que o pássaro carregava para alimentar seus filhotes, cai no chão e começa a germinar após a chuva.

O silêncio se cessa quando um simples olhar que como uma flecha, acerta a maçã na cabeça do filho de Guilherme.

Os amantes se calam para deixar falar a voz que vem do coração. A luz que brilha do olhar, a voz do coração, o cantar da escuridão, o cheiro do orvalhar do dia faz soar uma melodia que cessará o silêncio de uma nova canção.