Por Tody Macedo

é só uma lágrima que cai

talvez como um passo da luz da lua

ao despertar um suave sono

talvez a lua simplesmente o embala levando-o pra casa

não basta só lembrar do caminho

não basta abrir as asas de papel e tentar alçar voo

quero olhar nos olhos, e ali destilar mel que brota fino

não quero só ver o sorriso nos lábios

porque se não estiver no olhar não estará na alma

é só uma lágrima iluminada por uma luz sórdida

é só um momento mórbido e insensato

iluminado por um pó

sem se limitar com o frio que se sente

sem se limitar com a falta do sorriso nos olhos

sem se limitar com a falta do sorriso na lua

não quero me arriscar com um papel de carta

quero queimar minhas asas de papel

e desligar a tv pra acordar do sonho que ainda não sonhei